Infelizmente essa página não possui suporte a impressão.

Notícias

Claretiano amplia acessibilidade com intérprete virtual de Libras

28/11/2018 - Batatais

Para ampliar o acesso do público às informações dispostas em seu site, o Claretiano - Rede de Educação conta agora com a ajuda de um intérprete virtual de Libras, a Língua Brasileira de Sinais. O boneco 3D da Hand Talk, carinhosamente chamado de Hugo, é quem faz a tradução automática dos textos no endereço claretiano.edu.br

O recurso funciona tanto para acesso via desktop quanto mobile. Para utilizar, basta clicar no símbolo de “acessível em Libras”, que fica no lado direito da tela. O aplicativo também foi empregado no Ambiente Virtual de Aprendizagem do Claretiano, a Sala de Aula Virtual utilizada pelos alunos de toda a rede. 

Até então, o intérprete virtual era disponibilizado apenas aos estudantes que o requisitavam. Agora, o dispositivo está liberado a todos, sem a necessidade de solicitá-lo. 

“A ideia é expandir a inclusão dos nossos alunos, futuros alunos e do público que acessa o nosso site. São poucas as instituições de ensino superior que utilizam esse aplicativo, que foi premiado internacionalmente e é referência no segmento”, afirmou o Gerente de TI do Claretiano, Danilo da Silva. 

A Libras é a língua oficial da comunidade surda no Brasil, tendo sido reconhecida pela Lei 10.436 de 2002 e regulamentada pelo Decreto Lei 5.626 de 2005. 

De acordo com a Federação Mundial de Surdos, cerca de 80% dos surdos do mundo não compreendem bem as línguas faladas em seus países. A maior parte deles é alfabetizada em Línguas de Sinais e depende delas para se comunicar. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de 360 milhões de pessoas possuem deficiência auditiva no mundo, sendo que quase 10 milhões destas, de acordo com o CENSO IBGE 2010, são brasileiras.

Capacitação para atendimento em Libras

Além do intérprete virtual, o Claretiano - Centro Universitário de Batatais, por meio do seu Núcleo de Acessibilidade, tem capacitado colaboradores que atuam com o atendimento de alunos. Eles participam, até dezembro, de um curso presencial de Libras. 

Segundo Aparecida Helena Hachimine, professora que ministra as aulas e coordenadora do curso de pós-graduação em Língua Brasileira de Sinais, o aprendizado é de total importância, pois os surdos estão chegando às faculdades e precisam ser atendidos em sua língua.

= = = = = =