Infelizmente essa página não possui suporte a impressão.

Notícias

Claretiano recebe auditor da Congregação dos Missionários Claretianos

18/04/2019 - Batatais

Diversas instituições de ensino que fazem parte do Claretiano - Rede de Educação no Brasil estão recebendo, de 9 a 22 de abril, a visita pericial da Congregação dos Missionários Claretianos. O auditor é o padre espanhol Rafael Gomez Busto, que também passou por outras organizações ligadas à congregação no país.

Ele integra a Comissão Geral de Economia, responsável pelo controle dos balanços e orçamentos dos diferentes Organismos da Congregação e das comunidades e atividades que dependem diretamente da Administração Geral. 

Para entender mais sobre essa visita, leia a entrevista realizada com o Pe. Rafael em Batatais. 

Qual função você exerce na sua província e na Congregação? 

Eu sou o ecônomo provincial da província de Euskal Herria, que fica no norte da Espanha. Também sou membro do Conselho Geral de Economia da Congregação, que se reúne em Roma e tem o papel de aconselhar o ecônomo geral. 

Pode explicar um pouco sobre o trabalho que tem realizado no Brasil nos últimos dias? 

Estou fazendo uma visita pericial que, em termos normais, é uma auditoria interna. Temos que certificar Roma de que a província claretiana do Brasil está cumprindo com as obrigações do Estado, da Igreja (direito canônico por ser igreja católica) e de nossa legislação própria, nosso diretório, que contém normas que todos os organismos da congregação no mundo devem cumprir. 

Essa auditoria interna se refere apenas ao âmbito econômico, não tem relação com a organização das comunidades, nem com a organização das atividades que têm os diretores pedagógicos ou párocos ou representantes gerais de associações. Somente sobre o funcionamento econômico da província. 

Quais os tipos de organizações ligadas à Congregação recebem a visita pericial? 

O âmbito educacional é um âmbito muito importante e relevante dentro da província do Brasil, mas existem outras realidades claretianas, como creches, associações, paróquias, missões, como a Missão de Moçambique, e iniciativas como as realizadas em Boa Vista com os povos indígenas — que têm relação com a educação a distância, mas também tem relação com a opção pelos pobres. Há mais iniciativas como a televisão, a rádio e outros meios de comunicação social, além de todo o conjunto da editora Ave Maria. Há um movimento bem estruturado, além de muitas atividades apostólicas. 

Cheguei a São Paulo, onde me reuni com equipes da administração provincial. Em seguida fomos para Boa Vista, onde falamos com o Bispo e estivemos nas unidades educacionais. Depois, fomos a Taguatinga, onde visitamos o colégio Stella Maris e a Paróquia Perpétuo Socorro, além das comunidades que estão relacionadas com a paróquia. Depois chegamos a Batatais e devemos ir ainda a Belo Horizonte e outras localidades. 

Qual sua visão a respeito da educação a distância, que é um modelo de ensino no qual o Claretiano foi um dos pioneiros aqui no Brasil?  

Acho esse um passo decisivo, não somente pela significatividade, mas também por poder chegar a realidades distantes, pois graças à tecnologia muitas pessoas estão aproveitando nossa oferta educativa. Não estou falando apenas de territórios que estão ao norte ou nordeste, mas de núcleos que podem estar no centro e em outras realidades. Inclusive, pessoas que trabalham nas grandes cidades aproveitam o meio da educação a distância do Claretiano para sua própria formação. Tudo isso apoiado não somente pela comunicação social, pela divulgação nas redes, televisão, rádio, mas também por uma equipe de colaboradores e profissionais que são realmente muito importantes. 

Depois dessas visitas, o que você tem a dizer sobre todo o grupo educacional do Claretiano? 

Eu trabalhei com educação durante 25 anos, então conheço um pouco sobre o assunto (risos). O projeto Claretiano me fascina e me emociona muito, porque estou vendo que vai muito bem, e não somente a nível infantil, mas também no desenvolvimento desde pequenos até chegar ao ensino superior. Uma formação que não é somente acadêmica. É uma formação humana, religiosa em valores de solidariedade, de respeito e tolerância e é uma educação claretiana. 

Estou muito orgulhoso por ser claretiano e pelo fato de que todo esse trabalho dos claretianos e de toda a família claretiana esteja dando bons frutos. Estou muito contente! 

= = = = = = = = = = = = =