Infelizmente essa página não possui suporte a impressão.

Notícias

Professor do Claretiano trabalha na linha de frente do combate ao coronavírus

05/06/2020 - Goiânia

Com a permanência da pandemia do novo coronavírus (COVID-19) as profissões ligadas a área da Saúde estão se destacando a cada dia. Medicina, Biomedicina, Enfermagem e até Biologia estão entre elas. O Prof. Dr. Lucas Carlos Gomes Pereira, docente no Claretiano – Centro Universitário, polo de Goiânia, é Biólogo e está trabalhando na linha de frente durante a pandemia.  “O laboratório em que trabalho está realizando o teste para detecção de SARS-CoV-2 há mais de um mês, e até o momento já foram mais de 10 mil testes realizados. Estamos trabalhando em três turnos, fazendo com que o laboratório funcione 24 horas por dia, para atender a demanda, oferecendo um resultado com precisão no mesmo período”, conta o Profº. Drº. Lucas.

Com graduação em Biologia, especialização em Educação, mestrado em Farmácia (Fármacos e Medicamentos) e doutorado em Ciências Biológicas (Genética e Bioquímica), ele conta que antes da pandemia, seu trabalho no laboratório era voltado a testes para histocompatibilidade para transplantes de órgãos, ou seja, fazia a análise de órgãos verificando a possibilidade de realização de transplantes. “Hoje grande parte da estrutura e dos funcionários estão na força tarefa para realização dos exames para Covid-19, o teste de PCR. Após a implementação e do treinamento trabalho junto com a equipe de recebimento de amostra, extração do material genético e a realização do teste. Estou responsável na parte de amplificação, realização do teste de PCR e na liberação dos resultados”, explica.

Rotina

No Claretiano, em Goiânia, o Prof. Dr. Lucas é docente nos cursos de Estética, Educação Física, Enfermagem e Nutrição. “Minha rotina tem sido bastante difícil. Para conciliar as atividades, solicitei a gestão do laboratório a minha transferência para o turno da madrugada. Nos turnos restantes, me dedico à família e também na confecção e preparação de aulas para ministrá-las. Não digo de maneira nenhuma que está sendo fácil, mas está sendo prazeroso desenvolver as duas atividades que escolhi como profissão”, conta ressaltando que tudo que está vivenciando será acrescentado em suas aulas, enriquecendo ainda mais o conteúdo. 

“Tudo o que venho aprendendo, desde o início da compra dos kits, da elaboração dos protocolos, do treinamento, realização e assim como na liberação dos testes, é também um aprendizado que faço o repasse aos alunos. Sinto o maior prazer em repassar, pois esse momento que vivemos é único, e também levo em consideração que parte da população e consequentemente dos alunos, não tem a dimensão da dificuldade que a área da saúde está tendo para manter o ritmo de infecção controlada e reduzida, assim como de internação e infelizmente de óbitos. Informação e aprendizagem devem sim serem repassadas de forma responsável e clara”, explica.