Infelizmente essa página não possui suporte a impressão.

Notícias

Pró-reitor Acadêmico do Claretiano defende tese de doutorado que aborda as formações humana e técnico-profissional na EaD

15/07/2020 - Batatais

A aplicabilidade da Educação a Distância e o comportamento dos egressos dos cursos de Educação Física (Bacharelado e Licenciatura) do Claretiano – Centro Universitário de Batatais foram estudados pelo Pró-reitor Acadêmico do Claretiano, o Prof. Dr. Luís Cláudio de Almeida, para a obtenção do título de doutor pela Universidade Aberta de Portugal. A tese, que analisou “A formação humana e a formação técnica profissional nos processos de aprendizagem a distância: pesquisa com os egressos dos cursos de Graduação em Educação Física do Claretiano – Centro Universitário de Batatais, São Paulo, Brasil”, foi desenvolvida a partir de pesquisa de campo com a participação dos egressos dos cursos de Educação Física a distância, em todo o território nacional, entre os anos de 2016 e 2017.

“Identificamos os egressos que já estavam no mercado de trabalho e a pesquisa buscou uma amostragem representativa, para ter a percepção destes em relação à eficácia da aprendizagem a distância, na interface com a atuação profissional. Assim, o foco principal da pesquisa foi identificar as exigências do mercado de trabalho quanto à formação humana e à formação profissional”, explica o Prof. Dr. Luís Cláudio, ressaltando que a escolha da Educação Física do Claretiano se deu pelo fato de o curso ter sido o primeiro do Brasil a ser oferecido na modalidade a distância, além de ser uma área muito representativa em técnicas corporais, vivências e atividades práticas. Isso reforçaria as nossas perguntas: será que, em cursos a distância, o aluno realmente aprende as técnicas e práticas que o mercado de trabalho exige? Há algo, neste campo, que não se aprende a distância? Ainda, a formação humana é percebida durante o curso? E quais aspectos desta são exigidos no mundo do trabalho?

A tese

O doutorado na Universidade Aberta de Portugal foi iniciado há cinco anos. Após levantamentos bibliográficos e estudos de tendências, segundo o Prof. Dr. Luís Claudio, algumas hipóteses iniciais já eram levantadas, dentre elas, as pistas de boa qualidade da educação a distância, pelos avanços dos recursos educacionais em meio digital e pela evolução dos papeis dos educadores, dentro da proposta humanista educacional do Claretiano. Nesses particulares, poderiam estar as respostas de adequação às finalidades da formação humana e a da formação técnica profissional.

“Tínhamos a hipótese da eficácia do método, mas queríamos saber como, por onde, e o significado da aprendizagem na visão dos destinatários. Os inquéritos trouxeram muitas respostas interessantes. Por exemplo, os alunos não hesitaram em relatar que a formação humana é muito percebida na atuação dos professores e tutores, e também nos materiais didáticos a serviço da educação a distância. Neles está a transferência dos aspectos da formação humana, que integram o projeto educativo e que foram aprendidos. Quanto às práticas profissionais, há uma forte enculturação de técnicas na Educação Física, que precisam ser melhor entendidas, em especial pela ótica do mercado de trabalho e pelos significados e sentidos. Algumas práticas se justificam, outras não”.

A defesa

A defesa da tese de doutorado aconteceu no dia 2 de julho de 2020, de forma virtual, com a presença de representantes da Universidade Aberta de Portugal, Universidade do Minho, Universidade Nova de Lisboa, além do reitor do Claretiano – Centro Universitário de Batatais, o Pe. Dr. Sérgio Ibanor Piva; do pró-reitor Administrativo do Claretiano – Centro Universitário de Batatais, o Pe. Luiz Botteon; e demais convidados do doutorando.

Por mais de três horas, o Pró-reitor Acadêmico explicou os motivos que o levaram a escolher o tema, defendeu a tese e chegou à conclusão de que “a formação humana é possível e muito percebida pelos estudantes da Educação a Distância e o mercado de trabalho vem exigindo aspectos importantes da formação humana, em especial no que se refere às relações intrapessoal, interpessoal, destacando as condutas de cooperação, solidariedade, autonomia, criatividade e o cuidado com as outras pessoas. Além disso, é possível desmistificar as práticas de ensino que exigem muitas técnicas profissionais, pelo caminho das novas formas de aprender”, explica.

Segundo o Prof. Dr. Luís Cláudio, “o estudo mostra que o trabalho educacional, que sempre teve ao centro o ensino, agora cede maior espaço à aprendizagem, ou melhor, a aprendizagem vem ganhando cada vez mais destaque pela pluralidade dos meios. Afinal, estão surgindo novas formas e ferramentas de aprender, e a escola não é mais o único lugar de informação, a escola é um lugar de formação, e a aprendizagem está, predominantemente, na autodeterminação e na energia do próprio aluno”, pondera.

Vale lembrar que uma cópia do trabalho ficará à disposição no repositório da Universidade Aberta de Portugal para consulta e que os diversos assuntos tratados durante a tese serão desmembrados em artigos científicos com o objetivo de enriquecer a produção acadêmica do Claretiano.