Infelizmente essa página não possui suporte a impressão.

2014

 

Faculdades Integradas Claretianas – Rio Claro – SP
Av. Santo Antonio Maria Claret, n. 1724, Cidade Claret, Rio Claro–SP CEP 13.503-250

e-mail: biblioteca@claretianorc.com.br

Telefone: (19) 2111-6000 

 

Uma Instituição de Ensino Superior que preza pela qualidade de seus cursos, sejam eles de graduação, de pós-graduação ou de extensão, deve considerar a pesquisa como um fator relevante de sua ação acadêmica e institucional. Mesmo que seja apenas Faculdade, e não Centro Universitário ou Universidade, não tendo a obrigação da pesquisa, como afirmam os Instrumentos de Avaliação de Cursos e de Instituições do INEP, primar apenas pela qualidade do ensino não é suficiente para demonstrar o nível de seriedade e compromisso da comunidade acadêmica.

Nesse sentido, mais uma vez, o Claretiano – Faculdade, de Rio Claro, está demonstrando sua preocupação com a pesquisa, nos limites da Iniciação Científica, que expressa uma instituição voltada para a criação do conhecimento e não somente para sua transmissão.
Os Projetos de Iniciação Científica, com incentivo interno ou com bolsas do PIBIC - CNPq, realizados pelos alunos, com acompanhamento e orientação dos professores, são um testemunho da pesquisa como atividade formativa e constante nos diversos cursos oferecidos pela Instituição.

O resultado desse trabalho está expresso na forma de artigos e pôsteres apresentados em eventos, como Congressos, Seminários, entre outros, realizados tanto na própria Instituição como em outras instituições de ensino superior, sejam elas públicas ou privadas.
A sétima edição da Revista Institucional Ensaios & Diálogos, atualmente com conceito Qualis C, na avaliação da CAPES, reúne vários artigos de docentes e discentes da Instituição e de outras instituições, expressando a importância da pesquisa e da apresentação dos seus resultados no Claretiano – Faculdade. São artigos das mais diversas áreas presentes nos cursos de graduação que mostram a pluralidade e riqueza de interpretações nos campos das ciências sociais aplicadas, das licenciaturas, das engenharias, dos cursos superiores de tecnologia, entre outros.

O Claretiano – Faculdade está demonstrando, mais uma vez, o seu crescimento e sua competência nas três dimensões da vida acadêmica presente numa Instituição de Ensino Superior. Na graduação, quando fortalece seus cursos já existentes, com os recentes reconhecimentos dos cursos de engenharias e com a proposta de inserção de novos cursos na área da saúde, tais como Fisioterapia, Enfermagem, Estética, Terapia Ocupacional e Nutrição. Na extensão, com os cursos de extensão oferecidos, que valorizam um conhecimento que contribui diretamente no campo de atuação profissional, possibilitando maior competência e capacitação; ou na realização de projetos sociais, como no Bairro Terra Nova, que expressa um compromisso com as causas sociais, presentes na cidade de Rio Claro e região. E na pesquisa, neste caso particular, com a publicação da sétima edição da Revista Institucional – Ensaios & Diálogos –, mostrando o resultado dos projetos de pesquisa desenvolvidos pelos discentes e docentes, que expressa uma comunidade acadêmica cada vez mais consciente de que o conhecimento se apresenta como um bem intangível, sem o qual não é possível pensar numa sociedade ética e cidadã.

A nova edição da Revista é mais uma conquista do Claretiano – Faculdade. Parabéns a todos/as que colaboraram nas pesquisas e na possibilidade de suas publicações, encaminhando os diversos artigos como resultados dos projetos desenvolvidos na Instituição.

Prof. Dr. Sávio Carlos Desan Scopinho Diretor Acadêmico 

Ensaios & Diálogos / Faculdades Integradas Claretianas. — São Paulo: Gráfica Avenida, 2014. 106 p. 1983-635X; n.7 - Anual

 

Diretor Geral

Pe. Luiz Claudemir Botteon

 

Diretor Administrativo

Osvaldo Celotti

 

Diretor Acadêmico

Prof. Dr . Sávio Carlos Desan Scopinho

 

Diretor Comunitário e de Extensão

Prof. Es. Ângelo Aparecido Zadra

 

Coordenadoria Geral de Pesquisa e Iniciação Científica

Prof. Ms. Pablo Rodrigo Gonçalves

 

Conselho Editorial

Profa Dra. Maria Cecilia L. B. Soares

Prof. Es. Ângelo Aparecido Zadra

Prof. Ms. Eduardo Feltran Barbieri

Prof. Ms. João Carlos Picolin

Prof. Esp. Euclides Francisco Jutkoski

Prof. Dr. Manoel Valmir Fernandes

Profa. Dra. Raquel Albano Scopinho

Profa Es. Viviane Cristina Geraldo

Prof. Dr. Ronaldo Ribeiro de Campos

Profa. Dra. Márcia Reami Pechula

 

Editoração

Prof. Ms. Pablo Rodrigo Gonçalves

 

Capa

AGECOM

 

O CRAS Bandeirantes na visão da comunidade

 O presente estudo volta-se à Política de Proteção Social Básica da Assistência Social, com foco no CRAS – Centro de Referência de Assistência Social. Partindo da territorialidade, um de seus eixos estruturantes, buscou-se identificar a percepção e significação desse equipamento público na visão da população pertencente à área de abrangência do mesmo, entendendo que a prevenção de riscos e vulnerabilidades, fortalecimento de vínculos, promoção e garantia de direitos são efetivados mediante o acesso ao CRAS, e que o não reconhecimento desse espaço priva aqueles que têm direito da obtenção dos mesmos. Assim, a pesquisa exploratória realizada com a comunidade por meio de entrevistas semiestruturadas permitiu o desvendar da identidade e o envolvimento do CRAS com a comunidade do seu próprio território.

Palavras-chave: Assistência Social. CRAS. Proteção Social Básica. Território. Comunidade. 

Naiara Rodrigues dos Santos

Prof. Ms. Maria Ap. Ribeiro Germek

 

Diretrizes para um gerenciamento ambiental empresarial

 

O agravamento dos problemas ambientais vivenciados na atualidade gera uma forte preocupação em torno de suas causas e dos possíveis caminhos para se chegar a uma empresa mais sustentável. Diante disso, este trabalho teve como objeto analisar o desenvolvimento econômico das organizações através de estratégias corporativas ambientais, que visem melhor vantagem competitiva frente à concorrência e ao mercado atual. A metodologia utilizada foi um levantamento bibliográfico através de periódicos, livros e consulta a sites da internet, buscando conteúdo qualificado e específico ao tema. Os resultados observados são: redução de multas e penalidades, manejos robustos, melhorias contínuas no clima organizacional, mudança de portfólio, uma gestão mais consciente e comprometida com o meio ambiente, além de medidas mitigadoras. Pode-se inferir que as organizações sustentáveis, apresentam vantagem competitiva no mundo corporativo, e inclusive, identificam novas oportunidades de negócio pois são mais bem vistas no mercado e perante a sociedade. Ações sustentáveis empresariais são construídas com base na geração de valor e diferenciação face à concorrência.

Palavras-chave: Sustentabilidade. Ecoestratégias. Organizações. Gestão ambiental. 

Daiane Brigatto Contiero

Gabriela Pacheco Escher

Rafaela Lobo Campomizzo

Profa. Dra. Maria Carolina Vitti Partezani

 

O profissional secretário como agente facilitador na comunicação organizacional

 

O objetivo deste artigo é abordar uma das vertentes possibilitadas pela profissão de secretariado executivo, que é a atuação do profissional como principal agente de comunicação interna e externa dentro de uma pequena ou média empresa. Para demonstrar as possibilidades dessa atuação, foi usada a pesquisa bibliográfica por entender-se que seria a fonte substancial para o projeto. O desenvolvimento se dá a partir de uma breve contextualização da profissão nos dias de hoje, bem como seu histórico, especialmente no que tange à expansão das organizações. Finalmente, a área de comunicação será contextualizada para que seja introduzida a função de relações públicas para o profissional de secretariado executivo no cenário macro em que está inserido atualmente. A partir deste estudo, conclui- se que o secretário atua como facilitador na comunicação interna e externa, gerenciando o fluxo de informação da organização.

Palavras-chave: Secretariado, Comunicação, Relações Públicas. 

Rebeca Bueno de Oliveira

Profa. Esp. Viviana Cristina Gianini

 

O ensino e aprendizagem da matemática como instrumento de leitura de questões ambientais nas séries iniciais do ensino fundamental

 

O presente trabalho foi realizado com apoio do CNPQ, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Brasil.

Este trabalho possui o objetivo de estudar o desenvolvimento de propostas sobre o processo de ensino- aprendizagem da Matemática como instrumento de leitura de Questões Ambientais nas séries iniciais do Ensino Fundamental. A questão central da pesquisa é: de que forma os professores das séries iniciais relacionam o ensino de Matemática com questões ambientais nas aulas de Matemática? Investigamos situações procedimentais adotadas em sala de aula que utilizam a Educação Matemática e a Temática Ambiental com o propósito de incentivar transformações atitudinais no ambiente escolar, pautadas em uma ética favorável à preservação ambiental e à elevação da qualidade de vida planetária. Para tanto, utilizamos como procedimentos metodológicos estudos bibliográficos e entrevistas com professores que atuam nesse nível de ensino. Alguns resultados finais apontam que as professoras entendem que o desenvolvimento de atividades que relacionam a Matemática com Questões Ambientais em sala de aula é uma demanda social e muito importante para a educação de seus alunos. Porém, a ausência de experiências formadoras desses profissionais, tanto na dimensão inicial quanto continuada, dificulta a realização de trabalhos dessa natureza.

Palavras-chave: Educação Matemática, Meio Ambiente, Formação de Professores. 

 

Tatiane Bertanha Novais Evangelista

Prof. Dr. Carlos Alberto Francisco

 

A inclusão do surdo no mercado de trabalho de acordo com sua capacidade profissional

 

Esta pesquisa visa à realização de um estudo sobre a inserção do surdo no mercado de trabalho de acordo com sua capacidade profissional, fundamentando-se na inclusão e tendo como procedimentos a pesquisa bibliográfica e a pesquisa de campo. Foi realizado um estudo sobre a interação do surdo e da pessoa com deficiência auditiva, por meio do qual avaliou-se de que forma são recebidos no ambiente de trabalho, como é a sua comunicação com o meio ouvinte e qual a função da empresa referente aos aspectos de inclusão, Lei de Cotas e orientações trabalhistas para as referidas pessoas.

Palavras-chave: Inclusão. LIBRAS. Lei de Cotas. Mercado de trabalho. Surdez. 

Franceli Fernanda Gularte Evangelista

Talita Fernanda Cerri de Souza

Profa. Ms. Cristiane Regina Tozzo

 

Onde está a credibilidade das agências de rating?

 

As agências de rating entraram no foco das discussões após a Crise de 2008. Elas foram acusadas por serem uma das maiores responsáveis pela bancarrota financeira após muitos fundos de investimento que quebraram, devido à baixa qualidade e altos riscos oferecidos por seus ativos, terem sido avaliados por elas com as mais altas notas de confiança, o que levou milhares de investidores a uma armadilha financeira. Este projeto busca destrinchar, de forma sucinta, por meio da análise de Documentação Indireta, os mecanismos que fazem essas agências funcionarem, como elas nasceram, a maneira como trabalham e o envolvimento delas com os desastres financeiros que abalaram empresas e países. Os resultados desta pesquisa concluem que essas agências são muito importantes para deixarem de existir, mas que as décadas de liberdade e falta de regulamentação as tornaram poderosas demais e inconsequentes a ponto de ditarem altas quedas e não se responsabilizarem por isso.

Palavras-chave: Agências de Rating – Classificação de Risco – Crise do subprime – Crédito – Crise Imobiliária 

Gabriel Ribeiro

Prof. Esp. Emerson do Carmo Martins Mina

 

Análise do comportamento dos adolescentes do Projeto Terra Nova: observações sobre a agressividade

 A adolescência é considerada como um período de grandes transformações físicas, psicológicas, sociais. Diante desses fatos, este estudo teve como objetivo identificar comportamentos agressivos em adolescentes que participam do projeto Terra Nova, desenvolvido pelas Faculdades Integradas Claretianas de Rio Claro/SP. A metodologia foi baseada em uma pesquisa descritiva, utilizando como instrumentos o questionário e a observação. Participaram do estudo 25 adolescentes, de ambos os sexos, com idades entre 12 e 16 anos. As observações realizadas identificaram 641 ocorrências ao longo de oitos aulas, sendo a maioria relativa a brincadeiras turbulentas, e não agressões. No entanto, durante as observações, constatou-se uma relação direta entre esse tipo de brincadeira e um aumento na quantidade de comportamentos agressivos, principalmente durante o tempo ocioso. Ao perceber a relação entre esses três fatores, sugere-se que os professores se atentem ao planejamento das aulas, para que haja seu melhor aproveitamento, reduzindo a ociosidade dos alunos.

Palavras-chave: Agressividade, Adolescência, Comportamento Humano, Educação Física. 

Marina Mungai Sartori

Prof. Ms. Gustavo Lima Isler

 

A interpessoalidade na EAD: construindo pontes virtuais

A mediação didático-pedagógica no processo ensino/aprendizagem passa por profundas transformações devido ao rápido avanço da prática do ensino a distância. Além de representar alavanca para um radical e diferente comportamento nas relações humanas sem território, a modalidade aberta de ensino serve, cada vez mais, para atender demandas educacionais sob o império do viés econômico. O contexto traz preocupação no campo pedagógico, sobretudo na questão didática, construída há séculos na relação presencial entre educador e educando. Pedagogos e pensadores da questão enfatizam que o ensino deve ser mais que simples transmissão de informações e conhecimentos, requer diálogo no sentido mais amplo da palavra, num verdadeiro interagir entre os personagens do processo. Assim é que encantamentos existentes no processo de ensino aprendizagem correm perigo de extinção no campo da relação dialogal dos atores da educação quando permeada pela frieza da linguagem virtual e tecnológica dos computadores. Na era do virtual, a linguagem corporal perde terreno como importante ferramenta para obtenção da confiança e da cumplicidade na relação educacional. Urge a necessidade de pensar a ação didática da educação a distância, de modo a criar pontes virtuais para superar sua desconexão dialógica provocada, sobretudo, pela disparidade do tempo e do espaço e, assim, fortalecer o aspecto pedagógico, além de dar mais emoção e vida para essa modalidade de ensino.

Palavras-chave: Processo ensino aprendizagem. Educação a distância. Interpessoalidade no ensino. Didática na educação a distância. Pontes virtuais no ensino a distância.

Prof. Ms. José Ademir Crivelari

Prof.a Ms. Karina Elizabeth Serrazes

 

A logística reversa como ferramenta competitiva e de sustentabilidade ambiental

 

 

Este artigo tem como proposta definir e explicar de que forma a logística reversa pode ser utilizada como uma ferramenta para obtenção de vantagem competitiva e sustentabilidade ambiental. Assim, emprega conceitos teóricos que se encontram associados à realidade prática de empresas que buscam um melhor equacionamento dos fluxos reversos como forma de ampliar o capital natural do planeta.

Palavras-chave: sustentabilidade ambiental, logística reversa, reciclagem, latas de alumínio, legislação ambiental. 

Winston Castanon de Mattos

Profa. Dra. Selma Simões Santos