Infelizmente essa página não possui suporte a impressão.

2015

Prof. Ms. Pablo Rodrigo Gonçalves

Telefone: 19-2111-6116

E-mail: nupic@claretianorc.com.br

 

 O oitavo número da Revista Institucional Ensaios & Diálogos, mais uma vez, expressa a atuação dos alunos e professores do Claretiano – Faculdade no campo da pesquisa e da iniciação científica.

Foram selecionados oito artigos, sendo que sete deles se referem a projetos de iniciação científica, com participação de alunos e professores, e um escrito apenas por um professor da Instituição. Os artigos deste número se referem às áreas de Pedagogia, Serviço Social, Publicidade e Propaganda e Educação Física. Esse quadro, cabe reforçar, manifesta a intenção institucional de considerar a pesquisa e a iniciação científica como atividades fundamentais, presentes no universo acadêmico do Claretiano – Faculdade. Com diversas limitações de tempo e de recursos, vale reforçar o esforço e o empenho da comunidade acadêmica, produzindo e socializando o conhecimento por meio da revista, tanto na modalidade impressa como online.

Diante dos desafios e das dificuldades presentes no atual contexto da sociedade humana, tanto de Rio Claro e região, como também do Brasil e do mundo, cada vez mais, torna-se necessária a manifestação da comunidade acadêmica. Os artigos publicados neste número da revista expressam essa preocupação, sendo apresentados não como textos herméticos e descontextualizados, mas como textos que, com importantes referenciais teóricos, procuram ser instrumentos para contribuir com o pensamento crítico da sociedade atual, propondo caminhos e tentativas de solução.

A produção dos artigos é resultado de um processo de pesquisa – tanto dos projetos de iniciação científica como dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), que teve um momento de preparação e elaboração, culminando com a publicação dos textos finais, na forma de artigos científicos. Todo esse empenho mostra que a Instituição está no caminho certo, quando fortalece e enfatiza a importância da pesquisa como uma das características fundamentais da educação superior, cuja tríade se pauta no desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão.

Nesse momento de implementação do Claretiano – Rede de Educação e da nova configuração da Instituição, como Claretiano – Faculdade, a produção intelectual se apresenta num novo momento, que fortalece o espaço da pesquisa, por meio da iniciação científica e do TCC, como um elemento a mais na relação ensino-aprendizagem. Com a orientação e o apoio proveniente da Entidade Mantenedora, a pesquisa e a iniciação científica têm seu espaço e sua importância reconhecidos na comunidade acadêmica, que culminaram com os artigos ora apresentados e que sustentam a proposta da Instituição em oferecer uma educação de qualidade.

Parabéns a todos/as que se envolveram na elaboração dos artigos presentes neste número da Revista Ensaios & Diálogos. O esforço de cada um mostra que é importante acreditar no potencial da comunidade acadêmica do Claretiano – Faculdade. Por sua vez, o desejo da comunidade acadêmica é que os leitores e leitoras, que terão acesso aos artigos publicados, desfrutem de uma leitura que contribua para o crescimento acadêmico, profissional e até mesmo existencial, tanto numa dimensão individual como coletiva.

Sávio Carlos Desan Scopinho Diretor Acadêmico

Diretor Geral 

Pe. Luiz Claudemir Botteon 

 

Diretor Administrativo 

Osvaldo Celotti 

 

Diretor Acadêmico 

Prof. Dr. Sávio Carlos Desan Scopinho 

 

Diretor Comunitário e de Extensão 

Prof. Es. Ângelo Aparecido Zadra 

 

Coordenadoria Geral de Pesquisa e Iniciação Científica 

Prof. Ms. Pablo Rodrigo Gonçalves 

 

Conselho Editorial 

Profa Dra. Maria Cecilia L. B. Soares 

Prof. Es. Ângelo Aparecido Zadra 

Prof. Ms. João Carlos Picolin 

Prof. Esp. Euclides Francisco Jutkoski

Prof. Dr. Manoel Valmir Fernandes 

Profª. Dra. Raquel Albano Scopinho 

Profª Es. Viviane Cristina Geraldo Prof. 

Dr. Ronaldo Ribeiro de Campos 

Profa. Dra. Márcia Reami Pechula 

Profa. Dra. Beatriz Martins Manzano Editoração 

Prof. Ms. Pablo Rodrigo Gonçalves 

 

Capa 

AGECOM

A EDUCAÇÃO PARA CONSUMO SUSTENTÁVEL

 

A forma de consumo inerente ao atual estágio do sistema capitalista e o impacto que tal atividade ocasiona no meio ambiente tornou-se evidente e a questão ambiental, desde a década de 1960, tem sido item de destaque na agenda política internacional. Novas formas de desenvolvimento deveriam ser pensadas e nesta direção, o conceito de “desenvolvimento sustentável” tornou-se referencial pelo qual as nações deveriam se guiar, em busca de um crescimento econômico que não prejudicasse o meio ambiente. Entretanto, o conceito de desenvolvimento sustentável tem sido criticado por diversos autores, na medida em que tenta conciliar a preservação do meio ambiente e a forma capitalista de desenvolvimento econômico (principal motor da crise ambiental). Neste sentido, conclui-se que a educação ambiental, se implantada de maneira correta nas escolas e nos caminhos informais de educação, possui potencial para criar cidadãos que, além de consumidores sustentáveis, conscientes das consequências de seu consumo para o meio ambiente, serão capazes de repensar as formas de desenvolvimento econômico, em vias de romper com a atual.

Palavras-chave: Sociedade dos consumidores, lixo, desenvolvimento sustentável, educação ambiental.Aline Alves MOREIRA1 Karina Camilo da SILVA2 Profa. Dra. Ana Luiza Fonseca Fortes FURTADO3

  

 

 Aline Alves MOREIRA

Karina Camilo da SILVA

Profa. Dra. Ana Luiza Fonseca Fortes FURTADO

 

 

COMO SE DÁ O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

 

Ao compreender que o processo de alfabetização ocorre em um mundo letrado e preocupando-se com o ensino oferecido aos alunos das séries iniciais do processo de alfabetização, esta pesquisa objetiva verificar se as abordagens e estratégias de ensino estão garantindo o aprendizado da leitura e da escrita nos anos iniciais. Participaram deste estudo 2 professores de 1o ano e 2 professores de 2o ano dos anos iniciais de alfabetização da rede pública. Para a coleta de dados foi utilizada uma entrevista semiestruturada e como procedimento de análise foi utilizada uma análise do conteúdo verbal. Com os resultados obtidos foram encontradas nove categorias de análise, tais como: 1. Identificação dos professores; 2. Planejamento para as aulas diárias; 3. Base teórica usada pelos professores para planejar suas aulas; 4. Trabalhos em duplas ou por agrupamentos produtivos; 5. Estratégias de ensino utilizadas para alfabetizar os alunos; 6. Aprendizagem de leitura; 7. Uso da escrita na sala de aula. 8. Utilização do livro didático na elaboração das atividades; 9. Processo de avaliação. Conclui-se que os professores estão se aperfeiçoando por meio de cursos de formação e colocando em prática diversas estratégias e diferentes abordagens para que possam atingir todos os seus alunos.

PALAVRA-CHAVE: 1. Alfabetização e Letramento; 2. Abordagens e Teorias; 3. Construtivismo. 

Adriana Barreto MARTINI

Prof. Ms. Walkiria Gonçalves REGANHAN

 

PERFIL DOS CASOS DE VIOLÊNCIA CONTRA IDOSOS ATENDIDOS NO CREAS RIO CLARO-SP

 

Os avanços tecnológicos e a qualidade de vida atual têm contribuído para o crescimento da população idosa no Brasil. Contudo, juntamente com esse crescimento e o aumento das questões sociais, a violência contra idosos passou a ser uma das áreas preocupantes do profissional do Serviço Social. O objetivo do presente estudo visa conhecer, com mais profundidade, os desafios da profissão nesta área, sendo necessário discorrer sobre a velhice na contemporaneidade, o envelhecimento da população, seus desdobramentos e a feminização da velhice. As conquistas que trouxe a Constituição Federal, como a Política Nacional do Idoso, o Estatuto do Idoso e a Política de Assistência Social. O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), o qual faz parte da Política da Assistência Social, regulamentada pela Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS) e implantada no Sistema Único de Assistência Social (SUAS), tem grandes desafios para enfrentar essas questões. Apesar de haver dispositivos legais de amparo aos idosos, essa população ainda sofre vários tipos de violência, com sérias consequências. Quando identificada essa violência, o caso é encaminhado ao CREAS para o Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Adultos, Idosos e suas Famílias. Com o interesse em conhecer melhor o perfil desses idosos, realizamos pesquisa documental dos casos atendidos no CREAS de Rio Claro-SP, trazendo um olhar reflexivo sobre gênero e faixa etária, a procedência dos encaminhamentos, os tipos de violência, os principais agressores e o uso abusivo de álcool e drogas.

Palavras-chave: idoso, violência, CREAS, envelhecimento.

Arlete Lautenschlaeger DALPOSSO

Cícera Daiane de Azevedo SALES

Profa. Ms. Maria Ap. Ribeiro Germek

 

JOGOS COM CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA E SURDEZ NA EDUCAÇÃO INFANTIL

 

Este trabalho objetiva compreender o desenvolvimento da criança com deficiência auditiva e surdez em relação às crianças ouvintes, tendo em vista suas principais dificuldades e de que forma propor jogos que contribuam para a aprendizagem. Através de pesquisa bibliográfica, em livros, artigos acadêmicos, documentos oficiais e sites, o trabalho traz propostas para o mediador do conhecimento em sala regular de ensino trabalhar com essas crianças em questão, com oportunidades para todos. Há diferenças entre o desenvolvimento da criança surda em relação ao ouvinte, não pela falta de capacidade, mas pela falta da aquisição da linguagem, fator a ser trabalhado na sala regular, principalmente através dos jogos que são grandes aliados na educação infantil, favorecendo a atividade lúdica, de forma prazerosa. Palavras-chave: Crianças. Deficiência auditiva. Surdez. Jogos. Desenvolvimento. 

Glaucia Ester Pereira MARCHESIN

Profa.Ms.: Cristiane Regina TOZZO

 

A COMUNICAÇÃO POLÍTICA E OS MEIOS DE PERSUASÃO UTILIZADOS NO INTEGRALISMO BRASILEIRO (1932-1937)

 

O presente estudo aborda os principais instrumentos de comunicação política utilizados pelo Integralismo, movimento político manifestado de 1932 a 1937, que conquistou muitos brasileiros, somando em torno de 1 milhão de pessoas em sua defesa. São utilizados referenciais sobre comunicação em massa, propaganda política e ideológica, para entender os meios que expandiram as mensagens do Integralismo, responsáveis por estimular pessoas a compartilhar sua ideologia. A pesquisa utilizou-se de dois métodos, bibliográfico e documental, explorando o material literário sobre o assunto e o extenso acervo que a cidade de Rio Claro possui no Arquivo Público do município.

Palavras-chave: Comunicação de massa. Propaganda política e ideológica. Ideologia. Integralismo. Meios de comunicação. 

Marcela Cristine da SILVA

Prof. Ms. João Carlos PICOLIN

 

O PENSAMENTO EXISTENCIALISTA EM PAULO FREIRE: O ALUNO COMO UM SER EM CONSTRUÇÃO E CENTRO DA AÇÃO PEDAGÓGICA

 

sta pesquisa se faz a partir de inquietações presentes a respeito da presença e importância do humanismo existencialista para a educação, principalmente a partir das ideias de educação advindas de Paulo Freire. O existencialismo tem como enfoque o ser humano, indivíduo singular, autônomo e livre. É importante, para a educação, conhecer quem é o indivíduo que está a se formar, a fim de garantir a eficácia do ensino. Diante disso, objetivou-se, através do pensamento de Paulo Freire, conhecer o que existe e o que se insere no processo educativo a partir do existencialismo. O estudo foi desenvolvido por meio de uma pesquisa qualitativa, de natureza bibliográfica, através da qual se pôde concluir que Paulo Freire, leitor dos clássicos existencialistas, concebe cada indivíduo como autor responsável pela construção de sua existência e de seu saber, fazendo-se um ser em construção e centro da ação pedagógica.

Palavras-chave: Paulo Freire. Existencialismo. Educação. Autonomia. Pedagogia. 

 

Wagner MONTANHINI 

 

OS ACONTECIMENTOS SOCIAIS DOS ANOS 1950 E SEUS REFLEXOS NA ARTE E NA PUBLICIDADE DA ÉPOCA

 

Abordando os conceitos de Publicidade, Indústria cultural e Arte Pop, o trabalho em questão busca entender os acontecimentos sociais que ocorreram no século XX nos Estados Unidos e seus reflexos na Arte e na Publicidade nos anos 1950. O presente artigo faz utilização de revisões bibliográficas e pesquisas históricas para identificar como conceitos antagônicos como Arte e Publicidade se relacionaram nesse período nos Estados Unidos e de que forma o movimento Arte Pop e a Publicidade representavam a sociedade da época. Com o objetivo de identificar e entender o comportamento da época, o trabalho em questão também busca analisar até que ponto a arte e a publicidade podem representar os anseios e desejos de um período histórico.

Palavras-chave: Publicidade. Pop Art. Anos 1950. 

Graziela Maria Aparecida ANTUNES

Fábio Eduardo DIAS

 

VALORES E ATITUDES NO JUDÔ: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA SOBRE O TEMA

 

O objetivo desse trabalho foi verificar se as atitudes ensinadas originariamente juntamente com a prática do Judô ainda têm representação na atualidade e se ainda contribuem para a formação dos alunos. Por meio de uma pesquisa bibliográfica, esse estudo levantou aspectos como: os fundamentos filosóficos dessa arte marcial; a influência do Jiu-jitsu e dos sistemas religiosos (arte zen) em sua formação; e a revolução de costumes ocorrida no Japão, berço do Judô, a partir da abertura de seus portos ao ocidente. Também foram colhidas referências que indicam que o Judô, sendo bem orientado, pode ajudar o praticante a interagir melhor com as pessoas. Pôde-se ainda verificar que os princípios filosóficos que regem o Judô ainda são uma característica muito importante para essa arte marcial. Em uma perspectiva de ensino voltado à educação integral da pessoa, nota-se que esses princípios não deveriam ser esquecidos, mesmo que, atualmente, se valorize muito mais o aspecto esportivo dessa arte marcial. Nesse sentido, é importante que as academias que oferecem a prática do Judô encontrem um ponto de equilíbrio entre o ensino desses valores e as expectativas em relação aos resultados esportivos. Palavras-chave: Judô. Valores. Atitudes. Ética. 

Vicente Paulo Kannebley JUNIOR

Prof. Ms. Fernando Paulo Rosa de FREITAS