Infelizmente essa página não possui suporte a impressão.

Comissão Própria de Avaliação

O Claretiano - Faculdade destaca-se, dentre as várias e importantes iniciativas fundamentadas na sua Missão Institucional, a necessidade de avaliar constantemente suas ações, a fim de aprimorar seu trabalho e qualidade, de acordo com as propostas apresentadas em seu Plano de Desenvolvimento Institucional.

Com a criação da CPA - Comissão Própria de Avaliação -, a partir da Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004, como parte do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), o processo de avaliação se firma como um importante instrumento na concretização das ações de melhoria do Claretiano - Faculdade e na busca pela realização plena de sua missão. Diante disso, avaliações periódicas são realizadas para atender da melhor forma possível as perspectivas e anseios de todos que, de alguma forma, estão envolvidos na estrutura organizacional do Claretiano - Faculdade.

A CPA tem a responsabilidade de organizar e articular todo o processo de auto-avaliação da Instituição, além de sistematizar e disponibilizar informações e dados resultantes das diversas modalidades de avaliação.Sua composição conta com representantes do corpo discente, do corpo docente, de egressos, do corpo técnico-administrativo, além de representantes da comunidade civil. A articulação, participação e colaboração desses diversos segmentos são fundamentais para o êxito de todo o processo de auto-avaliação da Instituição.Tal processo deve ser contínuo, possibilitando o reajuste de atitudes e facilitando a tomada de decisão para a elevação da qualidade de ensino da Instituição. Também é importante ter em foco o desenvolvimento institucional, a partir da análise clara das qualidades, problemas e desafios que a Instituição enfrenta no presente e que poderão ser superados no futuro.

O que é avaliar?

A Avaliação Institucional é um processo de autocrítica e conhecimento do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão da Instituição. Com caráter formativo, ela explicita, por meio de questionários e outros instrumentais, as forças e fraquezas das ações implementadas e em vigor.A participação de todos os agentes, alunos, funcionários, professores, direção, ex-alunos e comunidade, é de fundamental importância para a obtenção de um bom resultado.Somente com a participação de todos no processo de formação, a Instituição estará construindo uma cultura de avaliação, possibilitando uma permanente atitude de tomada de consciência sobre sua missão e sua finalidade acadêmica e social.A auto-avaliação fundamenta-se na necessidade de promover a melhoria da qualidade da educação superior, a orientação da expansão da oferta, o aumento permanente da sua eficácia institucional, da sua efetividade acadêmica e social e, especialmente, do aprofundamento dos compromissos e responsabilidades sociais.