Infelizmente essa página não possui suporte a impressão.

Claretiano recebe Leonardo Macedo, membro da comissão técnica da seleção brasileira de boxe

11/04/2019 - Rio Claro

Eu cresci no boxe, não sei parar pra pensar quando começou a história do boxe na minha vida, desde que me conheço, o boxe está em minha vida.

Foi assim que Leonardo Macedo começou sua atividade na aula de Esportes de Luta, ministrada pelo professor Gustavo Isler. A disciplina, dada aos alunos de primeiro semestre do curso de Educação Física - Bacharelado, traz esportes de luta tanto na teoria, quanto na prática, preparando os alunos para as várias situações exigidas ao profissional de Educação Física no mercado de trabalho.

Leonardo foi escolhido por sua bagagem no boxe. Em 2003, se tornou fundador e técnico do projeto MM Boxe, em Rio Claro. Leonardo é formado em Educação Física pela Uniararas (2011), foi professor da rede estadual de ensino (2017-2018) e atualmente é membro da comissão técnica da seleção brasileira de boxe, como técnico do time juvenil.

Aula especial

A atividade permeou diversos pontos históricos relacionados ao boxe, desde sua origem, há centenas de anos, sua relação com política e economia, suas mudanças desde o início das competições, além do histórico nas olimpíadas.

O professor tratou sobre diversas questões étnico-culturais, como o fato de que negros não podiam lutar com brancos, que mulheres não puderam competir até 2012, e também falou sobre a importância das instituições regulamentadoras do esporte pelo mundo, tais como o CMB - Conselho Mundial de Boxe, OMB - Organização Mundial de Boxe, AMB - Associação Mundial de Boxe e a FIB - Federação Internacional de Boxe.

Uma das importantes citações do profissional foi sobre como é fundamental que vários profissionais estejam envolvidos para cuidar de um atleta, desde seu preparador físico, até nutricionistas, psicólogos, médicos, entre outros.

Além da teoria, Leonardo simulou uma “escola de boxe”, apresentando a técnica de prática de fundamentos básicos da modalidade (deslocamentos, golpes e defesas). Nessa escola, os alunos colocaram em prática os ensinamentos do técnico, de forma ritmada e lenta, para compreender todos os movimentos envolvidos.

Para Gustavo Isler,

Aliar o conhecimento teórico à vivência prática, principalmente orientada por um profissional que está intensamente relacionado a ela, favorece a aprendizagem, estimula o interesse e motiva para a busca de novos desafios. Afirmo isso, pois além da vivência, o profissional carrega consigo toda uma série de aspectos pessoais, profissionais e culturais referentes àquele campo de atuação. No momento em que ele ensina, esses aspectos, consciente ou inconscientemente, são transmitidos aos alunos que descobrem e percebem não somente o conteúdo ministrado, mas, por exemplo, também fatores sócio-culturais, emocionais e afetivos que permeiam tal prática.

A disciplina Esportes de Luta ainda trará outros esportes para que os calouros se aprofundem e conheçam mais áreas nas quais poderão se especializar no futuro.

= = = = = = = = = = = = = = = =