Infelizmente essa página não possui suporte a impressão.

Estudante do terceiro ano de Medicina é aprovada em congresso de Endocrinologia e Metabologia

25/11/2020 - Rio Claro

A aluna Izabela de Oliveira está no terceiro ano do curso de Medicina e com seus colegas fundou a Liga Acadêmica de Endocrinologia e Metabologia, em 2019, mas esse não foi o único momento de dedicação de Izabela para o tema.

Em 2020, a aluna desenvolveu a pesquisa Avaliação do controle glicêmico de pacientes com diabetes mellitus tipo 2 a partir do índice de hemoglobina glicada e a relação com o desenvolvimento de complicações crônicas - (Evaluation of the glycemic control of patients with type 2 diabetes mellitus from the glycated hemoglobin index and the relationship with the development of chronic complications), orientada pelo Prof. Dr. Vilmar Baldissera, com colaboração da Prof.ª Dr.ª Gabriella Soares.

A pesquisa, que fala sobre a conexão entre a exposição de indivíduos à hiperglicemia e complicações com o Diabetes Mellitus II, foi inscrita e aprovada para participar do 34º Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia, que acontecerá em novembro e dezembro deste ano, na cidade de Brasília.

O evento será realizado no formato on-line, organizado pela SBEM - Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e contará com simpósios, workshops, mesas-redondas, mini conferências, debates e muito mais.

Izabela conquistou a bolsa de iniciação científica no Claretiano e desde então se dedica a aprender mais sobre temas relacionados à endocrinologia e metabologia.

Desde o primeiro ano do curso, ao conviver com pacientes portadores de Diabetes Mellitus, eu percebi o quão importante eram os estudos voltados para a área, e me questionei o que poderia ser feito para colaborar com a melhora da qualidade de vida desses pacientes, disse Izabela.

Inspirada pelos conhecimentos adquiridos na iniciação, Izabela fundou a Liga Acadêmica de Endocrinologia e Metabologia, na qual os alunos de todos os anos do curso de Medicina podem se aprofundar mais sobre o tema e agregarem mais valor às suas carreiras.

Após um ano de pesquisa científica, foi possível a aproximação com profissionais os quais puderam me ensinar muito da prática relacionada aos pacientes diabéticos, e também portadores de outras comorbidades que possuem necessidade de um acompanhamento multidisciplinar, além do endocrinologista.

Izabela disse também que é de grande importância que alunos participem de congressos durante a graduação, pois são ambientes que promovem pesquisa e projetos nas áreas de interesse do estudante. Nesses encontros, os conhecimentos são atualizados e é possível fazer contato com profissionais da área de vários cantos do país, que possuem experiência e prática na medicina.

A aluna também contou que a iniciação científica na modalidade remota apresentou vantagens e desafios. É possível participar de várias atividades, em vários locais do Brasil e do mundo, contudo, é necessário muito empenho para as organizações realizarem as atividades e pesquisas. Mesmo assim, a aluna disse ter sido muito bem assessorada por seus professores durante o período de aulas remotas.

Aluna Izabela, do curso de Medicina.