Infelizmente essa página não possui suporte a impressão.

Projeto de Avaliação Institucional

            O projeto de Avaliação Institucional o Claretiano Faculdade destaca num primeiro momento a necessidade de sensibilizar e envolver um grande número de colaboradores, docentes, discentes, funcionários técnico-administrativos e a comunidade local neste processo, no sentido de apontar formas de despertar a consciência coletiva para depois encontrar os indicadores de desempenho que levarão aos ajustes das metas e dos objetivos.

            Quando da implantação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído pela Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, e regulamentada pela Portaria no 2.051, de 9 de julho de 2004, foi constituída a Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) como órgão colegiado de supervisão e coordenação do SINAES, para estabelecer diretrizes, critérios e estratégias para o processo de avaliação, em conformidade com suas atribuições legais de coordenação e supervisão do processo de avaliação da Educação Superior.

            Segundo as “Orientações gerais para o roteiro de auto avaliação das instituições” (INEP, 2004), o SINAES integra três modalidades principais de instrumentos de avaliação, aplicados em diferentes momentos:

(1) Avaliação das Instituições de Educação Superior (AVALIES) – é o centro de referência e articulação do sistema de avaliação, que se desenvolve em duas etapas principais:

(a) auto avaliação – coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) de cada IES;

(b) avaliação externa – realizada por comissões designadas pelo INEP, segundo diretrizes estabelecidas pela CONAES.

(2) Avaliação dos Cursos de Graduação (ACG) – avalia os cursos de graduação por meio de instrumentos e procedimentos que incluem visitas in loco de comissões externas.

(3) Avaliação do Desempenho dos Estudantes (ENADE) – aplica-se aos estudantes do final do primeiro e do último ano do curso, estando prevista a utilização de procedimentos amostrais.

            A CPA, responsáveis pela formatação da auto avaliação da IES e como parte integrante do SINAES (na Avaliação das Instituições de Educação Superior – AVALIES), foram apresentadas na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, em seu art. 11, o qual menciona que “cada instituição de Ensino Superior, pública ou privada, constituirá Comissão Própria de Avaliação – CPA, (...) com as atribuições de condução dos processos de avaliação internos da instituição, de sistematização e de prestação das informações solicitadas pelo INEP”, e deverá ser submetida à apreciação por avaliadores externos, designados pelo INEP, segundo diretrizes estabelecidas pela CONAES.

            Como pretende o INEP, a nossa avaliação institucional tem por objetivo verificar as condições gerais de funcionamento da Educação Superior prestada por nossa Instituição, para, além de servir como um importante instrumento de gestão institucional, subsidiar o Ministério da Educação nas decisões sobre autorização e reconhecimento de cursos, renovação de reconhecimento de cursos, credenciamento institucional e recredenciamento institucional da Faculdade Claretiana de Brasília.

            Nossa avaliação, em consonância com o SINAES, deve atender à própria IES, no desenvolvimento da autoconsciência institucional, na definição da missão, de seus planos, métodos e trajetória; ao governo e a seus planos de desenvolvimento e políticas públicas; aos alunos e futuros alunos e a toda a sociedade.

            Um dos principais objetivos do nosso projeto de avaliação institucional é verificar a execução do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), que contempla objetivos, metas e ações institucionais presentes na sua Missão.

            Especificamente sobre o PDI, é nossa intenção analisá-lo quanto à sua adequação ao contexto atual da Faculdade Claretiana de Brasília, no que diz respeito à Missão Institucional, à concepção que fundamenta os cursos, aos currículos e ao sistema de avaliação, além da factibilidade do que foi projetado em termos de crescimento quantitativo e qualitativo para os próximos cinco anos, considerando a evolução ocorrida desde o credenciamento. O PDI deve estar intimamente articulado com os resultados da avaliação institucional, isto é, deve contemplar ações para sanar deficiências que tenham sido identificadas pelos processos avaliativos (internos e externos).

            A verificação da qualificação e das políticas de valorização dos professores, a infraestrutura e a organização institucional, bem como a gestão acadêmica e as atividades de ensino, pesquisa e extensão, também, estarão incluídas nessa aferição. Esse processo que ora se estabelece colabora nos esforços estabelecidos por esta Instituição para o recredenciamento institucional.

            Para da Faculdade Claretiana de Brasília, avaliar significa possibilitar repensar os objetivos, os modos de atuação e os resultados na perspectiva de se fazer uma instituição mais adequada às exigências e mudanças do cotidiano interno e externo. Ademais, a Instituição entende ser a avaliação uma ferramenta poderosa para as necessárias mudanças na Educação Superior que pratica, visando à melhoria na qualidade e maior aproximação com a sociedade contemporânea. Essa avaliação, entendida como um insumo do processo mais amplo de planejamento da organização, permitirá obter o diagnóstico de necessidades e identificar as ações a serem contempladas na gestão da organização, pois consiste em um processo permanente de elaboração de conhecimento e de intervenção prática, que permite retroalimentar as mais diversas atividades das IES durante todo o seu desenvolvimento.

            Essa avaliação institucional deve oferecer dados para a tomada de decisão. É imperioso usar dessas informações para valer-se dos resultados da auto-avaliação como um guia para o aprimoramento, mudança ou manutenção das ações executadas ou a serem executadas na Instituição. Como um eixo condutor do planejamento institucional e da gestão, as informações permitem o acompanhamento das ações desenvolvidas e os ajustes necessários ainda na execução.

            Nosso processo enfoca a auto avaliação da Faculdade Claretiana de Brasília contempla o ensino, a pesquisa (práticas de investigação) e a extensão, a análise crítica de todo o processo, dos seus resultados e do envolvimento dos alunos e professores, bem como de todas as ações já empreendidas. O envolvimento dessa comunidade acadêmica no processo de auto avaliação se mostra como o mecanismo mais qualificado para o autoconhecimento da Instituição, além de servir de base para a tomada de decisão na melhoria da qualidade acadêmica (ações de melhoria implementadas no sentido de aumentar a qualidade de serviços educacionais prestados).

            Os princípios norteadores estabelecidos pelo SINAES e que devem conduzir esse processo contemplam: responsabilidade social, reconhecimento da diversidade do sistema, respeito à identidade institucional, globalidade, continuidade, compromisso formativo e publicidade.

            Considerando esses princípios e valendo-nos de nossa experiência em processos diferenciados de avaliação institucional, construímos um processo híbrido de avaliação, ou seja, uma abordagem plurimetodológica, em atendimento aos componentes essenciais almejados, contemplando avaliações fechadas, avaliações abertas, avaliações integradas e meta-avaliação interna, em que são ouvidos todos os agentes em todas as instâncias da IES. O trabalho, pois, vai utilizar uma combinação de procedimentos metodológicos quantitativos e qualitativos, com ênfase nesses últimos, sem perder de vista que o objeto central da avaliação institucional é a qualidade, não só como diagnóstico, mas também como processo de melhoria.

            Segundo as Orientações Gerais para o Roteiro da Auto Avaliação das Instituições (2004) do SINAES, na apresentação dos Requisitos da Avaliação Interna, há uma indicação clara de que as informações colhidas sejam válidas e confiáveis, e que seus resultados sejam de uso efetivo. Orientado por essas demandas, a avaliação interna desencadeada pela CPA da Faculdade Claretiana de Brasília observa os padrões fixados pelo MEC e os padrões internos para as dimensões acentuadas pelo INEP. Os resultados das avaliações são sistematizados e analisados pela CPA que os repassa aos setores adequados como subsídios para a revisão de seus programas, e quando os indicadores atingirem aspectos mais gerais, para a revisão do próprio Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI).

            A Faculdade Claretiana de Brasília segue o vínculo da divisão dos assuntos tratados por ordem correspondente aos cinco eixos que contemplam as dez dimensões dispostas no art. 3° da Lei N° 10.861, que institui o SINAES. Assim a Instituição está alinhada aos instrumentos de avaliação propostos, gerando os relatórios de resultados pelas áreas exploradas pelas dimensões vinculadas aos eixos.

            Segue abaixo por cada eixo a proposta de trabalho da Faculdade Claretiana de Brasília

- EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: O resultado de todo processo de avaliação institucional é percebido nos rumos adotados pela Faculdade Claretiana de Brasília que estão diretamente vinculados ao PDI. O constante processo de auto avaliação gerado pela CPA, tem como objetivo primordial a ação eficaz dentro de um planejamento, sendo assim, a auto avaliação institucional capaz não só de avaliar, mas de oferecer possibilidades de reconhecimento das debilidades e potencialidades presentes na Faculdade Claretiana de Brasília. A auto avaliação será compartilhada, por avaliadores e avaliados, criando um contínuo processo de autoconhecimento, de autonomia, de adesão e de comprometimento entre todos os envolvidos no processo, possibilitando um planejamento e definição de metas através de discussão coletiva da comunidade interna e externa da Instituição. A Faculdade Claretiana de Brasília entende que, por meio de um amplo processo de auto avaliação participativa e democrática, o desenvolvimento interno da Faculdade Claretiana de Brasília se refletirá intramuros e na sociedade.

- EIXO 2: DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL: A Faculdade Claretiana de Brasília estabelecerá cronogramas periódicos de avaliações em atendimento às proposituras a que compete o período de atuação do PDI. Por meio de sua CPA, atuará constantemente na auto avaliação institucional, cumprindo os cronogramas de pesquisas, realizando levantamento de informações com o intuito de sinalizar para a Direção Acadêmica e Direção Administrativa informações que demonstrem o desenvolvimento da Instituição. No âmbito da auto-avaliação, algumas ações importantes que partiram desta, legitimam o processo, visto a sua articulação com o PDI.

- EIXO 3: POLÍTICAS ACADÊMICAS: A Faculdade Claretiana de Brasília participa da Unificação dos Projetos Políticos Pedagógicos dos Cursos de Graduação, atendendo às Políticas do Claretiano – Rede de Educação, seu Projeto Educativo, Missão e Princípios: Etapa Matriz Curricular. Trata-se da proposta de unificar todos os Projetos Político- Pedagógicos dos Cursos de Graduação do Claretiano – Rede de Educação, em suas dimensões filosóficas/antropológicas, acadêmica, administrativa e pedagógica, tendo como eixo o Projeto Educativo Claretiano, com o objetivo de padronizar e unificar o roteiro a ser utilizado para sua formatação. A Faculdade Claretiana de Brasília valendo-se de todos os canais de comunicação, a partir da visualização de necessidades que serão apontadas pelas diversas pesquisas de auto avaliação a serem efetuadas pela CPA, buscará atender as necessidades A Faculdade Claretiana de Brasília de acordo com a evolução proposta pela Direção Acadêmica e Administrativa e da sociedade em geral. Sendo assim será foco da CPA da Faculdade Claretiana de Brasília entender melhor o real resultado que será alcançado junto à comunidade local quanto à formação de seus discentes e atuação de seus futuros egressos. Resultados estes, apontados sem a interferência do posicionamento pessoal de quem, em algum momento, já viveu ou participou do cotidiano da Faculdade Claretiana de Brasília.

- EIXO 4: POLÍTICAS DE GESTÃO: É premente que a política de gestão adotada, assim como sua operacionalização, está contemplada em documentos internos já aprovados pelas instâncias legitimamente reconhecidas pela Faculdade Claretiana de Brasília. Atenta a tudo isto está a CPA, tem a tarefa de dar continuidade às pesquisas da auto avaliação e através dos dados levantados, gerar as informações que serão à base de suporte para a melhoria contínua da política de gestão da Instituição. Outra tarefa importante da CPA é checar periodicamente as condições e aplicabilidade da política, assim como suscitar e propor melhorias e alterações que se sintam necessárias para uma ação mais eficaz no funcionamento da mesma. Sempre será foco da CPA o levantamento de informações que orientem as tomadas de decisões e ações por parte da Direção Acadêmica e Administrativa quanto aos campos desejados pelos docentes e técnicos administrativos, referente à área de aperfeiçoamento profissional que responda às necessidades dos mesmos ao longo do tempo. Consequentemente, a CPA procurará atender, com as pesquisas e as coletas de dados, ao fornecimento de informações, a fim de checar e garantir que a política de implementação das atividades de gestão da Faculdade Claretiana de Brasília estejam implantadas, dentro de uma estrutura organizacional devidamente assumida e em efetivo funcionamento. A CPA então se manterá atenta aos parâmetros dos documentos oficiais da Faculdade Claretiana de Brasília, juntamente com o organograma de ação, os regulamentos internos, as normas acadêmicas contidas em documentos como o Guia Acadêmico do Aluno, o PDI, entre outros, a partir das orientações e normativas dos órgãos governamentais, afim de que atendam a legislação e a Ação Educacional Claretiana.

- EIXO 5: INFRAESTRUTURA FÍSICA: Este processo é entendido como meta da avaliação interna do PDI, onde cada setor ou curso aponta na auto avaliação as suas necessidades. Na apresentação dos resultados específicos, busca-se validar as necessidades quanto à sua utilidade, exatidão, viabilidade e propriedade no que tange o atendimento das necessidades apontadas. Como esses resultados devem servir para tomada de decisões, serão realizadas reuniões com os dirigentes dos setores envolvidos para a busca de soluções para casos apontados, com objetividade nas discussões, para que se possam definir prazos, responsabilidades e recursos a serem mobilizados na adequação da infraestrutura física da Faculdade Claretiana de Brasília, para atendimento das necessidades apontadas pelos diferentes corpos acadêmicos na auto avaliação.

            Para tornar a avaliação institucional uma realidade, é preciso garantir a condução do processo de forma multidimensional e considerar todas as atividades institucionais (docentes, discentes, egressos, técnicos, e comunidade). Ora, isso pressupõe uma visão ampla da avaliação capaz de estabelecer o processo de avaliação como permanente e contínuo, abrangendo os níveis do indivíduo, da equipe (setoriais) e da IES. A intenção, portanto, é converter a avaliação em um instrumento de superação individual e coletiva de limitações.

            Durante e ao final de cada etapa, queremos dar visibilidade de todo o processo, como garantia à comunidade acadêmica do conhecimento desse processo, bem como dos objetivos, princípios, recursos metodológicos e resultados obtidos, estabelecendo uma discussão continuada acerca do tema. Pois acreditamos, em consonância às políticas do MEC, que a avaliação institucional é compreendida como a grande impulsionadora de mudanças no processo acadêmico de produção e disseminação de conhecimento, que se concretiza na formação de cidadãos e profissionais e no desenvolvimento de atividades de ensino, de pesquisa e de extensão. Nesse sentido, contribui para a formulação de caminhos para a transformação da Educação Superior, evidenciando o compromisso desta com a construção de uma sociedade mais justa e solidária e, portanto, mais democrática e menos excludente. Sendo assim, é possível desenvolver uma sistemática de avaliação que vise ao aperfeiçoamento da qualidade da educação, com a finalidade de transformar a escola atual em uma instituição comprometida com a transformação da sociedade.

            Ao final do processo, quer se chegar ao Diagnóstico Institucional (parcial e global), tendo como ponto de partida um conjunto de dados e informações coletados e armazenados continuamente, fornecidos pela estrutura acadêmica, em cada realidade examinada. Os valores desses indicadores serão comparados aos padrões nacionais estabelecidos pelo MEC ou aos padrões definidos internamente, visando à análise do desempenho da Faculdade Claretiana de Brasília. Seguindo o que preconiza o INEP, a avaliação interna é concebida como retrospectiva crítica, dentro de um contexto social, do que realiza a instituição, aferindo o diagnóstico com os resultados obtidos na auto avaliação, suscitando um projeto de desenvolvimento acadêmico com o qual a comunidade acadêmica se sinta identificada e comprometida.